Vida: é um espetáculo circense contemporâneo que mistura a linguagem do teatro de sombras com a linguagem circense. Ele fala das fases da vida desde o nascimento, infância, adolescência, adulto e maturidade. É um espetáculo poético e virtuoso que valoriza a VIDA!

Duração: 55 min.
Classificação: Livre
Criação e Direção: Daniela Helena
Produção e Técnico responsável: Fausto Henrique
Iluminação e limpeza coreografica: Dickson Resstel

Sinopse:

O Espetáculo Circense contemporâneo “VIDA” fala sobre as fases da vida desde o nascimento até o amadurecimento e envolve os sentimentos caracteristicos em cada uma, mostrando que a vida é cíclica.

O espetáculo inicia com uma cena de teatro de sombras representando a fase Uterina de formação de um novo indivíduo que já carrega consigo espectativas, experiências, informações carregadas em sua genética e personalidade com o surgimento de imagens encantadoras.

Em seguida a relação da maternidade e o sentimento de mãe e filha é representada por uma coreografia em doble tecido.

A infância e o sentimento de pureza, verdade e inocencia é representada por um adagio acrobatico dinâmico e as brincadeiras de bola, onde sem duvida já começam a ser demonstrado traços da personalidade humana, a interação do publico e uma cena de rope skiping (acrobacias com cordas) provocam no publico um resgate de sua propria infância.

O sentimento de alegria da infancia é rompido com a segunda cena de teatro de sombras que fala da transformação desta criança em adolescente onde ocorrem uma explosão de hormônios, mudanças fisicas e comportamentais em busca de uma indentidade com grupos e a “independencia” da familia, surgem também os primeiros contatos com estravagancias da juventude.

Na juventude o sentimento de liberdade, independência e identificação com grupos é representado no espetáculo com acrobacias coletivas e com uma performance na lira.

A busca pelo parceiro ideal é representada pela cena do romance com a doble faixa que desperta o encontro, o envolvimento, a cumplicidade, apesar das idas e vindas, o casal de reconhece como um, se entrega e confia no outro.

O sentimento de amor é levado a prova com a rotina estressante e exaustiva do adulto, os compromissos financeiros, as responsabilidades familiares, as necessidades de aquisição de bens materiais, o excesso de trabalho trás a estafa e um sentimento de impotência sobre a vida representada por sombras e por uma coreografia de dança com parada de mãos que busca o retorno ao seu interior, a inversão da rotina que estamos vivendo, a reflexão sobre os reais valores da vida e o rumo que damos a ela.

Após esta ressignificação de nós mesmos, vemos que não estamos sozinhos nesta vida; uma dança acrobática de 2 casais representa este momento de união e confiança.

A maturidade vem com a espansão da consciencia ordenada. O cubo representa a consciencia que olha de modo firme e ordenado para todos os lados na criação, representa o conhecimento perfeito, o prédio interior que vamos construindo ao longo da vida, é a caixa do conhecimento, o baú onde se encontra a felicidade. Uma coreografia no cubo aéreo reuni a experiencia de vida dos 4 integrantes e fecha o ciclo da Vida: infancia, juventude, maturidade, velhice.

Ao final do espetáculo, os artistas saem de dentro da tela e caminham em direção a luz e a plateia. Uma mensagem sobre o significado da Vida é falada: “Vida: conjunto de experiencias, fases e momentos onde cada pessoa é protagonista de sua própria história que não volta atrás, por isso, valorize sua vida, viva o presente, aprecie todos os momentos, reflita com suas experiencias e AME a VIDA!”

Por ser um espetáculo circense de linguagem contemporânea, a concepção de cenário é trabalhada toda com projeções de sombras e luzes que vão desenhando as fases da vida, ora interagindo com as cenas, ora ficando como segundo plano.

Teaser

Comente aqui!